Cátia Veiga

Licenciatura em Dança na Faculdade de Motricidade Humana
Frequência na Escola Superior de DançaProfessora de Ballet/Dança Criativa no Parque do Falcão desde 2001

Tudo começou quando a minha mãe leu a lista de atividades disponíveis no infantário que eu frequentava.

Eu tinha 4 anos. Parei ao ouvir a palavra “Ballet”. Sem saber muito bem o que era, foi o que escolhi.

Fiquei fascinada desde a primeira aula. Não era pela roupa cor-de-rosa, cor de que não gostava, nem pelos tutus com brilhantes, eram os movimentos e a música que me fascinavam. Desde então o Ballet tornou-se uma grande parte da minha vida. É uma modalidade muito completa – promove uma postura correta e adequada, trabalha a consciência corporal, a coordenação motora, a flexibilidade, a musicalidade e a sociabilidade!

Depois de muitos espetáculos e alguns professores, frequentei a licenciatura em Dança na Faculdade de Motricidade Humana e, na minha busca pela constante evolução, optei por ter também aulas na Escola Superior de Dança, onde conheci o grupo de Dança Contemporânea que integrei e com o qual andei em digressão pelo país durante um ano.

Após esse período, uma das minhas antigas professoras foi mãe, e propôs-me um desafio: dar as aulas por ela, até ela poder retomar o seu trabalho. Aceitei, sem saber que se iria tornar na minha paixão! Se por um lado já tinha tido a experiência dos nervos, do esforço, cansaço e dedicação, dos palcos, aplausos, sentimento de realização e necessidade de constante superação, por outro lado não fazia ideia do quão gratificante é transmitir conhecimentos, ver os sorrisos, as brincadeiras, o carinho, ver a evolução constante das alunas, desde as pequeninas em que todos os exercícios de introdução parecem jogos, às mais crescidas em que o esforço, empenho e dedicação me fazem continuar a trabalhar para conseguir corresponder e criar sempre novas espectativas. Os aplausos de que mais me orgulho não foram aqueles que recebi, são aqueles que se destinam “às minhas meninas”.

 

cátia veiga